Felizmente hoje a terapia “quase” não é mais considerada “coisa de louco”. Digo quase porque ainda aparece vez ou outra alguém que deixa claro que “o pessoal do trabalho não pode saber” ou “melhor que minha esposa não saiba, não sei se ela vai entender” ou o último que falou “acredita que meu filho também faz terapia? Mas não contei que faço também não”.

Apesar de vez ou outra aparecer alguém que sente certa “vergonha” em cuidar da saúde mental, acredito que avançamos muito com relação aos pré-conceitos negativos acerca da terapia. E hoje, muito mais difundida e aceita como algo completamente normal para os padrões atuais, a busca por esse tipo de ajuda deixou de ser apenas em casos urgentes ou extremos de sofrimento psicológico.

Eis alguns dos temas que tem motivado as pessoas a adentrarem nossos consultórios

  • Cuidar da auto-estima, obter maior segurança e confiança em si para encarar os desafios diários
  • Resolver conflitos emocionais que são gatilhos para momentos de alta ansiedade, causadores de pânico, estresse, depressão, medos, timidez excessiva, fobias, bloqueios, compulsões e traumas
  • Melhorar e enriquecer relações entre casais, famílias, amigos, no ambiente de trabalho, etc
  • Re-avaliar relações disfuncionais e destruidoras
  • Desenvolver comunicação mais assertiva que vida obter o que visa obter o que realmente necessita, expressar ideias e sentimentos de modo adequado e objetivo e aprender a lidar de forma positiva com problem que podem surgir nessa área.
  • Superar medos: de falar em publico, de errar, de falar NÃO, de agir em equipe, de ser avaliado, etc
  • Aumentar a habilidade de tomar decisões e assim trabalhar a liderança
  • Aprender a manter a serenidade em situações adversas e sob pressão
  • Identificar e transformar pensamentos e crenças limitadoras
  • Avaliar escolhas
  • Melhorar a qualidade de vida

Enfim, esses são alguns dos motivos pelos quais as pessoas tem procurado a ajuda do psicólogo, existem tantos outros que variam de acordo com o modo como se encara e se traduz um determinado momento da vida ou situação.

O que é reconfortante é saber que os mitos acerca da terapia estão quase escassos e que cada vez mais as pessoas tem considerado esse tipo de tratamento como prevenção para maiores danos a vida emocional, ao invés de buscá-lo apenas quando uma patologia, geralmente cronificada, já está instalada.

Em última analise precisamos amar para não adoecer.

-Sigmund Freud

0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *