Dia desses vi um post no Facebook que dizia: Buscar um relacionamento quando se está carente é a mesma coisa que ir ao supermercado com fome: qualquer coisa serve!

E serve mesmo. A extrema carência da piada acima nada mais é que uma das características mais marcantes das pessoas com baixa autoestima.

Autoestima embute conceitos de autovaloração, autoconfiança, autorrespeito e comprometimento com ações voltadas para o próprio bem estar.  Tem a ver com com gostar  de si o suficiente para não aceitar situações que sejam ruins para si próprio, como por exemplo entrar e manter relações vazias, fracassadas, destrutivas, traiçoeiras e que trazem muito sofrimento.

Quem não conhece aquele homem incrível, aquela mulher fantástica que com frequência se envolve com pessoas que estão muito aquém das suas expectativas ou do que realmente merecem? O fato é que por terem crenças muito disfuncionais acerca de si mesmo, dos outros e do mundo como se apresenta, essas pessoas tendem a buscar por parceiros que as decepcionem e “comprovem” que não são merecedoras de amor, respeito e valor. É a tal profecia auto realizável – onde a pessoa cria as condições favoráveis para que o fracasso ocorra, assim constata que tinha razão desde o início. Cristalizando a crença disfuncional e dando início a um perigoso círculo vicioso de sabotagem.

Quem não tem uma autoestima bem trabalhada, equilibrada, costuma “fazer de tudo” para que uma relação não acabe, e isso inclui priorizar a relação e a outra pessoa em detrimento de si.

Vale a pena mudar a direção, os seus objetivos pessoais e abrir mão do que é importante para você por uma pessoa que claramente demonstra não estar afim de investir em você ou no relacionamento?

O amor próprio sempre deve prevalecer e isso nada tem a ver com egoísmo.

Quando temos consciência do nosso próprio valor não nos submetemos a situações e relações abusivas. Ao contrário, quando não temos claro que somos merecedores do que há de melhor estamos sujeitos a valoração que o outro  nos atribui. O que é extremamente danoso, principalmente para as relações afetivas.

Entrar num relacionamento seguro e com clareza do que se quer e espera já aumenta significativamente a chance dele funcionar. Além do mais uma boa dose de autoconfiança é um poderoso afrodisíaco – ela equilibra e facilita relações recompensadoras.

Cuidar de si deve ser prioridade na vida de qualquer pessoa. Afinal só podemos oferecer aquilo que possuímos.

0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *