Transtorno Bipolar

O Transtorno Bipolar é caracterizado por oscilações extremas e bruscas do humor.

A pessoa intercala momentos da mais profunda tristeza depressiva com momentos de agitação intensa, alegria e excitação. Estes momentos de humor exaltado são chamados de mania e entre uma crise e outra o paciente passa por períodos de normalidade (estabilidade).

O Transtorno Bipolar tem como características os mesmos sintomas da Depressão – na fase depressiva – e sintomas de Mania:

  • humor excessivamente animado, exaltado, eufórico, alegria exagerada;
  • enquanto na fase depressiva há uma diminuição da energia e disposição, na fase de mania acontece o oposto, elas são aumentadas, é comum iniciar muitas coisas ao mesmo tempo, mas frequentemente não terminá-las;
  • pouca capacidade de julgamento, falta de crítica e de dicernimento;
  • irritabilidade extrema, “pavio muito curto”;
  • agitação e inquietação física e mental;
  • crenças irreais sobre as próprias capacidades e habilidades (aumentadas). Idéias grandiosas;
  • fala muito rápida, acelerada, pulando de uma idéia a outra. Pensamento acelerado;
  • comportamentos inadequados (provocador, intimidador, agressivo ou intrometido);
  • gastos excessivos e desnecessários;
  • insônia (pouca necessidade de sono);
  • busca e realização de atividades que trazem prazer imediato (abuso de álcool, drogas, sexo, jogos, etc);
  • baixa tolerância à frustração;

Os Transtornos de Humor podem ocorrer em qualquer fase da vida: na infância, adolescência e na fase adulta e se não forem devidamente tratados podem durar a vida toda.
Estes transtornos causam muito sofrimento para o doente porque ele sente que não é mais o que era anteriormente, que houve uma mudança onde algo se perdeu e culpa-se por isso. Acha que agora é menos do que era, menos capaz, menos inteligente, menos confiante.
A visão que tem do mundo e de si mesmo está distorcida, fragmentada e é sempre bastante pessimista e radical. Não consegue visualizar mudanças positivas em sua vida porque acredita que tudo é irreversível e imutável.

É por isso que os conselhos e estímulos vindos de amigos e parentes que pedem que ele se esforce e se anime, pouco afetam o depressivo e, muitas vezes até pioram a doença. Ele simplesmente não consegue reagir a tudo que, para os outros, é bom e agradável, não consegue apenas com um esforço reverter seu estado emocional de angústia e vazio.

O que ele sente é tão desconhecido para ele como é incompreendido por quem está de fora e é isso que gera sua inibição e isolamento.
Suas auto-acusações de incapacidade e indignidade, embora não reflitam a realidade, descrevem exatamente o conteúdo das suas impressões internas, é assim, da forma como se descreve, que ele enxerga a si mesmo.

Ressalta e exagera a proporção de defeitos e ignora suas qualidades.

Não consegue se ater ao mundo exterior porque suas forças estão totalmente voltadas para seus conflitos internos.

O tratamento iniciado no princípio da doença diminui as chances dela se tornar crônica.

A indicação de tratamento é combinar Psicoterapia com medicamentos (geralmente estabilizadores de humor).

0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *