Relacionamento consigo mesmo é o mais importante e o mais negligenciado. Uma reflexão sobre essa matemática onde um mais um é igual a menos um.

Os outros relacionamentos

Se você prestar atenção, perceberá que em seu dia a dia, a maior parte de suas conversas são dedicadas à eles: aos seus relacionamentos. Relacionamento amoroso (namorado/a, marido/esposa, paquera), relacionamento de trabalho (gestores, pares ou liderados), relacionamento familiar (pais, filhos, irmãos), parcerias (sócios pela vida) e amizades. Passamos boa parte de nossas vidas nos dedicando e cuidando dessas relações.

Porém, muito pouco ou quase nada é falado sobre a importância de se manter um bom relacionamento com a gente mesmo. É tão incomum, que o próprio termo “relacionamento consigo mesmo” no sentido literal, gera estranheza. A única pessoa que vai acompanhar você a vida toda – em todos os momentos – é você mesmo! Portanto, é não só lógico como útil aprender a melhorar o relacionamento consigo mesmo.

Mas por que, de todos os relacionamentos, as pessoas acabam negligenciado justamente o mais importante?

Porque ao cuidar do relacionamento consigo mesmo, as pessoas precisam se encarar de frente, olhar para suas carências, medos e fraquezas e isso dói. Então é mais fácil fugir, olhar para os outros, distribuir culpas e anestesiar a dor com ansiolíticos, álcool, compras excessivas e o que mais estiver ao alcance.

O relacionar-se com si mesmo não é simples e fácil, é como estar num compartimento repleto de móveis, utensílios, papéis, roupas, e todo o tipo de objetos, que se aglomeram independente da função. Precisamos contemplar nossos pensamentos, nosso modo de viver e compreender que os problemas mostram os pontos onde ainda não estamos em harmonia.

Relacionar-se com si mesmo e autoconhecimento

Todos nós queremos ser reconhecidos, respeitados e amados, porém só vamos conseguir isto quando nós aprendermos a olhar e cuidar nós mesmos.

Você sabe quem você é? Já parou para pensar sobre suas características, suas competências e habilidades? O que gostaria de modificar? Esta é uma ótima maneira de se apreciar mais. Coloque em um papel uma lista de coisas boas e não tão boas sobre você, observe os pontos que deseja melhorar. Se não conseguir sozinho, visite um psicólogo, ele o ajudará a se descobrir e se desenvolver. Esse pode ser um bom começo para você se desenvolver no relacionamento consigo mesmo.

Atitudes e comportamentos da pessoa que se relaciona bem com si mesma.

  • Sabe acolher-se a si mesma, assim como é com suas aptidões e seus limites. Não com amargura como quem quer modificar a sua situação existencial mas com jovialidade.
  • Acolhe o próprio rosto, cabelos, pernas, seios, sua aparência e modo de estar no mundo.
  • Cuida de si, reconhece suas vulnerabilidades.
  • Permite-se chorar, sabe perdoar-se e perdoar o outro.
  • Desenvolve a resiliência, que é a capacidade de dar a volta por cima e aprender com os erros e contradições.

“Reconheça-te naquilo que és, procure aprofundar-te em ti mesmo para descobrires tuas potencialidades; tente realizar aquilo que de fato podes.” (Leonardo Boff)